Ações referentes à prevenção de doenças relacionadas ao Aedes aegypti

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio do Setor de Endemias, na prevenção de doenças relacionadas ao Aedes aegypty realiza seis ciclos de trabalhos por ano para abranger todos os imóveis do município. Os agentes fazem inspeção no imóvel, tratamento se houver encontrado larvas, eliminação de objetos que possam vir a ser criadouros e conscientização do morador. Como as inspeções nas residências acontecem em dias úteis e há casas fechadas, a cobertura de inspeção está em torno de 60%. Para ampliar essa cobertura, a equipe fará o trabalho também aos sábados.

 

Dentre outras ações promovidas recentemente pelo Setor de Endemias podem ser citadas:

1) Vacinação contra febre amarela na comunidade de Campo Alegre, além da conscientização dos moradores sobre as demais doenças relacionadas ao Aedes aegypti, no evento “Rua do Lazer”

2) Trabalho de conscientização sobre os perigos do Aedes aegypti na Prata de Baixo, além da entrega de panfletos sobre orientações sobre destinação do lixo e alterações na data da coleta seletiva.

3) Conscientização sobre a Dengue no Quilombo do Gaia e mutirão de tratamento de todos os imóveis nessa comunidade.

4) Coleta de vasilhames possíveis de ser criadouro do Aedes aegypti.

- Segundo o relatório de notificações e casos confirmados, apresentado pelo coordenador do Setor de Endemias, Fábio Lopes, no 1º semestre de 2017, houve:

a) 16 casos confirmados de dengue, 2 casos confirmados de dengue e 2 de chikungunya.

b) Houve notificação de 100 casos suspeitos de dengue, 40 suspeitos de zika e 2 suspeitos de chikungunya.

Fábio Lopes ressalta a importância de todos os casos suspeitos fazerem o exame laboratorial, seguindo as orientações dos profissionais de Saúde.

O Setor de Endemias está realizando uma parceria com a Secretaria de Meio Ambiente em relação aos lotes vagos e sujos, para a tomada de providências e ainda na divulgação, nas comunidades e na área urbana, sobre a importância do destino correto de lixo, com a entrega de panfletos que também informam a alteração nos dias da coleta seletiva.

A equipe de controle de endemias realiza também, duas vezes por ano, o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRA). Tanto em 2016 quanto neste ano, o índice está numa média de 0,8% dentro do esperado. O índice é considerado satisfatório quando fica abaixo de 1%, situação de alerta quando está no intervalo entre 1% e 3,9% e indica risco de surto quando é igual ou superior a 4%.

1/9/2017




TAG's: Ações, referentes, prevenção, doenças, relacionadas, Aedes, aegypti

Inicial | Voltar
Link permanente: